Tempo: Mel Duarte


23 de outubro de 2020

Time is never time at all
You can never ever leave
Without leaving a piece of youth
And our lives are forever changed
We will never be the same
The more you change the less you feel

Isto é “Tonight, tonight” do Smashing Pumpkins do álbum Melon Colie and the Infinite Sadness, de 1994 mas tão atual. O trecho me ocorreu quando pensava no que escrever sobre os diários e agora a música toca no máximo pelo alto falante do mesmo notebook onde posso ver as imagens da Mel Duarte, extremamente poéticas como a neblina que cobre a cidade as 08:37 da manhã de 21 de outubro do inimaginável ano de 2020. Mel, que abre a série "Tempo", que reúne material de fotógrafos que capturaram durante a pandemia infinite sadness mas não só isso. Lentes vivas em um mundo que tenta o status alive por meio de lives. Sabemos nós do afogamento de imagens, the world is a vampire, mas por favor, me deixe ler o seu diário...

︎


Texto Matheus Dos Reis
Imagens Melissa Duarte















































Conheça mais o trabalho de Melissa Duarte aqui.

Mark